Trecho do Texto “A Escola como Ambiente Educativo”

Padrão

Helena Machado de Paula Albuquerque 

Toda sociedade, para manter-se e progredir, necessita transmitir sua cultura acumulada às novas gerações e produzir novos bens culturais. Para tal, segundo alguns, não necessita de todos os seus membros; é natural a marginalização dos economicamente menos privilegiados. Nem todos, por conseguinte, precisam ser integrados à sociedade. Alega-se que, em um mundo globalizado, os postos de trabalho escasseiam proporcionalmente ao crescimento populacional. De acordo com Regina Leite Garcia e Victor V. Valla, propaga-se nos países de Primeiro Mundo a idéia de que crianças do Terceiro Mundo, acometidas por doenças como diarréia aguda, não deveriam ser salvas, pois tal recurso só prolongaria uma vida já destinada à miséria e ao sofrimento.

Convivem com essas teses sociedades que optaram pela democracia. Se todos os homens têm deveres e direitos iguais, todos, indiscri-minadamente, devem ser integrados, participando da aquisição, produção e utilização dos bens culturais. Todavia, discursos e idéias democráticas sem a prática social correspondente não garantem a democracia. Muitas vezes, mostram compromisso com uma sociedade democrática, enquanto as realizações se distanciam e reforçam a desigualdade e discriminação social. Isso ocorreu no Brasil, sempre que se dificultou o acesso à escola, hoje praticamente universalizado, o que não basta para caracterizar uma sociedade democrática. É preciso que o acesso se faça acompanhar de um ensino de boa qualidade. Isto é alinhado com a formação integral do ser humano. Não pode reduzir-se a puro treino, o que fortalece a postura autoritária de falar de cima para baixo a que falta, por isso mesmo, a intenção de sua democratização no falar com.

Hoje, as informações são obtidas de diferentes fontes, as novas tecnologias favorecem a troca de conhecimentos e arrebentam com fronteiras geográficas, mas nunca a escola foi revestida de tanta importância. É o único espaço institucionalizado para o exercício de uma função que contribui para a manutenção e crescimento cultural da sociedade. A sociedade reflete o que é cada um dos cidadãos que dela faz parte. A escola se mostra como o locus privilegiado para a aquisição sistemática de educação que inclui conhecimentos, atitudes e habilidades que facilitem o exercício profissional, que assegurem a formação de autoconceitos positivos, a construção de pessoas autônomas para pensar, questionar, agir e tomar decisões que favoreçam o seu crescimento como ser humano, como cidadãos, conscientes e competentes para exercer a sua cidadania. A educação não é um simples amontoado de informações, mas a sua compreensão e o desenvolvimento da capacidade para utilizá-las. É o elemento mediador entre as necessidades do indivíduo e a prática social global.

Helena M. P. Albuquerque é doutora em educação e professora no curso de Pedagogia da PUC/SP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s